sábado, 25 de janeiro de 2014

A FRUTA DO PECADO



           
      
Chuva torrencial no caminho
Pisa em pedra, e terra molhada
Ele deseja da amada um carinho
Sente o cheiro das flores perfumadas.
 No pomar não consegue achar
A fruta que designa o pecado
Romã, figo, mas não há néctar!
Poucos instantes ele sai apressado
 Entre os espinhos está procurando...
Grita: onde está a minha amada?!
Desliza uma mão suave em seu ombro
Une-se  para sempre a eterna namorada...